Papapapa papapa paparararararara

agosto 30, 2007 às 4:47 pm | Publicado em Seriados | 3 Comentários

Por pura preguiça (e/ou porque a Vivax é uma porcaria e não tem um monte de canais legais), eu tenho deixado passar um monte de séries bacanas. Mas como sempre é tempo de corrigir os erros, estou (que vergonha!) conhecendo agora:

How I Met Your Mother: Simplesmente AMEI. Tem a Alyson ‘Willow’ Hannigan, mais fofa do que nunca. Tem amigos na faixa dos vinte, trinta anos. Tem historinhas divertidas. Tem o Neil Patrick Harris (ehehe! o Doogie Howser!), super engraçado. E após os quatro primeiros episódios, arrisco dizer que tem potencial para entrar na minha lista de séries preferidas de todos os tempos. It’s going to be legendary!

Barney

The Office: Com tanta gente elogiando, dava até medo de acabar me decepcionando com The Office. Ainda bem que as pessoas estavam certas, a série é genial. Todos os personagens são tão reais que você consegue imaginar aquelas pessoas trabalhando no mesmo escritório que você. Adoro os silêncios constrangedores promovidos pelo chefe. E o Jim é beem bonitinho, né? 😉

Episódios finais da segunda temporada de My name is Earl: Que feio!!! Como pude deixar MNIE de lado assim? Como pude simplesmente esquecer de uma série que me trouxe tantos momentos de diversão? Vou pagar penitência e assistir ‘Sim Querida’ dublado na Fooox, assim aprendo a não ser tão ingrata! Mas sobre o episódio, (spoiler?) que dó do Earl!

House: Os personagens são ótimos, O House é o máximo, as histórias são bem legais, e eu pretendo assistir tudinho. Mas falando a verdade, ainda não me ganhou. Ainda não tenho aquela dependência, não fico ansiosa esperando pelo próximo episódio. Veremos como vai ser…

Ainda falta:
Veronica Mars, Nip/Tuck, Prison Break

You got me so I can’t sleep at night

agosto 10, 2007 às 4:31 pm | Publicado em Pessoal | 4 Comentários

Frequentemente acabo trocando algumas horinhas de sono por uma boa conversa antes de dormir. Sabe, quando já estamos debaixo das cobertas e do nada surge um assunto, que acaba puxando outro, depois outro e quando a gente percebe já passou da uma da manhã?

O papo é bem variado, que pode ir desde fofocas do dia a dia, passando por política (?!), religião, Heroes, até sessões de terapia grátis e opiniões/confissões que só surgem quando estamos com sono.

Pauta da nossa conversa ontem:

– Ally Mcbeal: mudanças de personagens durante as temporadas e o momento exato da pulada do tubarão.

– Discutindo a relação: o quanto mudamos desde o 1o encontro, com ênfase no tópico ‘estou gorda?’

– Fresh Prince of Bel-Air: Discussões diversas sobre a (falta de?) qualidade da série, sobre os personagens (o tio dele era ou não um chatão?). Essa série, assim como My Wife and Kids, são ou não racistas?

– Observações gerais sobre a saúde, hábitos e necessidades fisiológicas da Phoebe.

– Ghost: um breve resumo sobre o filme.

– Combo Rangers, Princesas do Mar e o quão foda é o Yabu.

– Discussão sobre a matéria de capa da Superinteressante, debatendo a questão: pessoas positivas se cuidam mais?

– Análise da importância de manter os dentes limpos e o hábito de escovar os dentes após as refeições (subtópicos: o fio dental faz milagres, produtos que detectam a qualidade escovação, você tem medo do dentista?, dente do siso: esse desconhecido)

– Pesquisa de opinião: Photoshop ou Fireworks?

– Antes e depois: Como 1GB de RAM muda um computador.

– Experiências: Como seu pai costumava te acordar pela manhã?

– Até o dia em que o cão morreu: É um bom livro? Churras é um bom nome para um cachorro? O protagonista gostava realmente do cachorro? Você expulsaria um cachorro (ou amigo, ou irmão) só porque ele fez cocô dentro da sua casa?

I’ve got to tell you in my loudest tones that I started looking for a warning sign

agosto 6, 2007 às 5:29 pm | Publicado em Filmes | 2 Comentários

Assisti The Last Kiss (ou o filme do J.D. e da Summer :P). Eu esperava um pouco mais do filme, mas mesmo assim eu gostei. Podia ter rendido mais, podia ser melhor, mas foi legal.

Mas uma coisa chamou a minha atenção: em dois filmes com o Zach Braff (esse e Garden State) eu sempre enxergo alguma semelhença com a minha vida. Ou os filmes reunem clichês enormes (conseguentemente minha vida também) ou eu fico vendo pêlo em ovo mesmo… Mas enfim… 😛

Sei lá se todo mundo tem momentos assim, mas já passei por essa de sentir que minha vida já estava toda planejada, viver sem surpresas, sabe? Isso rende uma bela deprê! Mas o final do meu filme foi diferente… 🙂

Outra coisa que me deixou intrigada: Caramba, virou moda colocar Snow Patrol em tudo quanto é trilha sonora?

The Last Kiss


“What you feel only matters to you. It’s what you do to the people you love. That’s what matters. That’s the only thing that counts.”

I’ll be coming home next year

julho 25, 2007 às 8:17 pm | Publicado em Fofuras, Livros, Seriados | 2 Comentários

Eu ❤ Paul Torrent! 🙂

Ele está me mandando AS QUATRO TEMPORADAS de Ed!!! Sabe quanto tempo eu procuro por isso? Sabe o quanto eu já rezei pra Sony reprisar a série mais linda-bacana-meiga do mundo? Eu sei que vai demorar meses (o Paul T. é legal, mas é meio lerdinho), mas cada segundo vai valer a pena!

Hoje, se o Deus protetor da banda larga permitir, a primeira temporada vai estar lá em casa…

Ah, e de brinde, consegui as quatro temporadas de Two Guys and a Girl também! \o/

***

Já faz um tempão que li Ensaios de Amor, do Alain de Botton. Já que minha memória está ficando cada vez pior (basicamente só lembrava que o cara se apaixona por uma menina que estava sentada na poltrona ao lado dele no avião, e que o nome dela era Chloe), e aproveitando uma bela promoção na Livraria da Vila (50% de desconto, só porque o livro estava com cara que foi molhado – nem quero pensar que tipo de liquido foi derrubado :P), resolvi relê-lo. E estou adorando!

Realmente não entendo como ele pode não ter gostado desse livro…

***

Li também Princesas do Mar (As Cartas de Vento), do Fábio Yabu.
É a coisa mais fofa do mundo!

E como eu sei que vai ter comentários do tipo ‘ela chorou no final, hahaha’, eu admito: chorei mesmo, tá? Eu gosto de tartaruguinhas, poxa…

Princesas do Mar

***

E comprei o cd novo da Ludov, mas… ainda não ouvi… 😮

1977

junho 8, 2007 às 10:50 pm | Publicado em Pessoal | 3 Comentários

Já não aguento mais dar aquele sorrisinho amarelo cada vez que alguém vem com uma piadinha sobre minha chegada aos 30 anos. Sim, balzaquiana, sim, já poderia estar com um monte de filhos, não, ninguém me chama de senhora na rua e tia é a %$@#!*&@. Tá bom?

E já que é inevitável, pensei, então que eu envelheça com graça e beleza. Era a hora de encarar um creme anti-rugas. Após uns 4 meses de uso, qual o resultado? Nenhuma ruga ou pé-de-galinha (coisa que nunca tive mesmo), mas muitas e muitas ESPINHAS! Nunca, nem no auge da minha adolescência tive algum problema com isso, mas agora, cá estou eu, pesquisando sobre produtos anti-acne no site da Sacks. Será o meu corpo rejeitando a velhice, ou a porcaria do creme oleoso pra caramba entupiu meus poros?

Vai ver estou virando uma velha ranzinza mesmo…

Mas sabe, tentando enxergar alguma coisa boa nisso tudo, quando eu fiz 20 anos, ninguém me dizia: ‘olha, você aparenta ter 10 anos a menos!’. 😛

Eu

O antes e o agora 😛

Tell me, tell me, there’s no goodbyes

junho 8, 2007 às 10:11 pm | Publicado em Seriados | Deixe um comentário

Estou com aquele vazio pós fim de série…
Gilmore Girls acabou. Nem dá pra acreditar que é verdade… o episódio final foi fofo, e tão levinho que nem parecia ser o último.
GG acabou, The OC acabou… como serão as noites de quinta-feira agora?

Only in dreams

março 23, 2007 às 4:49 pm | Publicado em Seriados | 4 Comentários

Na minha visão de mundo perfeito (onde os juros do cartão de crédito são de 0,0%, o Weezer lança um cd por semestre, eu faço parte das Pipettes e todo mundo tem um gatinho de estimação), o final de Gilmore Girls seria assim:

– A gravidez da Lane é psicológica. Aquela barrigona horrível desaparece, a banda dela é a nova promessa de salvação do rock e o Seth Cohen volta a ser o guitarrista.

– A Sookie vira vegetariana, e é eleita a chef natureba do ano.

– A Emily e o Richard continuam sendo Emily e Richard.

– A Rory dá um chutão no Logan. E corre atrás do Jess. Eles se casam, e ela se torna a senhora Rory Gilmore Petrelli.

– A April, filha do Luke, desenvolve uma super fórmula para ficar invisível. E some de vez.

– O Luke, pai da April, resolve viver pra sempre sozinho. Ele vai ser feliz assim, na lanchonete, cuidando dos sobrinhos, servindo café pra Lorelai. Numa outra vida (ou série), ele e a Lorelai vão ser almas gêmeas, mas em GG não.

– A Lorelai percebe que o Chris é o cara. E que os dois ficam lindos andando de sobretudo pelas ruas de Stars Hollow.

– O Paul Anka se apaixona por uma bela cadelinha. E lindos filhotinhos nascem desse amor. Afinal, todo final tem que ter casamento e bebês!

E assim, todos vivem felizes pra sempre!

We can be Heroes, just for one day

março 14, 2007 às 8:28 pm | Publicado em Seriados | 3 Comentários

Acabou Who Wants to Be a Superhero
Eu gostava da Fat Momma, mas o Feedback era o meu preferido. Ele tinha toda pose de super herói, parecia ser o que mais levava a sério aquilo. E pô, o cara chorando, falando da morte do pai, da influência do Homem Aranha na vida dele… vai dizer que não foi emocionante?

stan_lee.jpg

E que tiozinho fofo é o Stan Lee!

Mas tudo bem, tudo bom

março 9, 2007 às 7:30 pm | Publicado em Pessoal | 2 Comentários

Em Heroes, teve uma cena assim: o Claude (aka o homem invisivel) tava lá numa discussão pra ensinar o Peter Petrelli a dominar seu poderes e coisa e tal. Dai, sem mais nem menos, ele joga o Peter lá do topo de um prédio… o Peter cai que nem bigorna da Acme, chega lá em baixo e se arrebenta todo. Ele morre? Nããão… Ele aprende que, em casos extremos, consegue sim dominar seus poderes – nesse caso, se regenerou e ficou inteirinho.

Trazendo pra vida real: as vezes alguém precisa te empurrar lá do último andar, pra testar o limite da sua capacidade.

Espero que, se eu me arrebentar lá embaixo, que consiga me regenerar rapidinho. Ou ainda melhor, que eu aprenda a voar e que a altura de um prédio não me assuste mais.

E pensa bem, que graça teria se o Peter tivesse se ajoelhado e implorado pra não ser jogado?

Um momento “always look at the bright side of life”! 😛

There goes my hero

março 2, 2007 às 9:15 pm | Publicado em Seriados | 3 Comentários

Post cheio de spoilers, aviso pra quem gosta de Heroes, mas ainda não assistiu o episódio 17 (Company Man).

Como um episódio sem o Peter Petrelli e sem o Hiro poderia ser bom?
Mas foi. E bom é pouco. Foi perfeito, talvez o melhor episódio de todos (ainda não me decidi se gostei mais desse ou do Homecoming).
Olha só: A gente fica sabendo como a Claire foi adotada! E fala um pouco mais do tal homem invisivel! E o Haitiano! E que o Mr. Bennet não é tão do mal assim. E, peloamordedeus, o pai do Hiro tem muito a ver com tudo isso!! (aliás, falha minha, o Hiro aparece no episódio sim, mas num flashback, criancinha e jogando Gameboy. Fofo!). E quem é aquele cara, aparentemente chefe do pai da Claire? (hum, aliás, qual o nome de verdade do HRG?)

Ainda teve o Ted-radioativo dando chilique e botando fogo na casa, a Claire-Bear tomando tiro, depois toda queimada, depois se regenerando e voltando toda linda e loira, com os cachinhos arrumadinhos. Ah, e o Mr. Muggles, pra minha total felicidade, não sofreu um arranhão com toda essa bagunça. 🙂

Se tivemos um episódio desses, aparentemente num dia ‘normal’, como é que vai ser o final da temporada?!
😮

*PS: Segundo minhas pesquisas, a frase em japonês que o Mr Bennet pensa (e o Parkman ouve) é: ‘I must save my family. Protect them at any cost’. (nada muito revelador ou importante…)

Acho que terei filhos assim…

Próxima Página »

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.